Total de visualizações de página

segunda-feira, 4 de julho de 2011

Série Abusos Vocais - Gritar

O Voz em Bom Som começa hoje uma série relacionada a abusos vocais cometidos diariamente pela maioria das pessoas e que em longo prazo pode causar distúrbios vocais.
Vamos iniciar pelo grito, comportamento vocal de extrema agressão as pregas vocais.

Para produzirmos a nossa voz o ar vindo dos pulmões passa pelas pregas vocais onde ocorre a vibração(som básico da voz) e esse som sobe através dos ressonadores(boca, nariz, garganta, ossos da face) que vão ampliar este som e depois este será moldado em palavras pelos órgãos fonoarticulatórios. Que palavrão não é mesmo, mas calma os órgãos fonoarticulatórios nada mais são que os lábios, língua, dentes, palato duro(céu da boca), palato mole(campainha) e mandíbula (articulação têmporomandibular vai controlar a abertura de boca no momento da fala).  Quando gritamos, o ar que vem dos pulmões vem numa velocidade altíssima (cerca de 80 km/h) pois quanto mais rápido o ar passa, mais alto fica o volume da nossa voz.
Produção da Voz
O problema é que no grito essa velocidade faz com as pregas vocais esbarrem forte uma na outra agredindo os tecidos das pregas vocais a cada vez que gritamos e isto tudo associado a uma grande tensão no pescoço e como vocês já viram tensão e voz não combinam muito (veja o post: A ordem é relaxar!).
Na imagem abaixo você pode visualizar as pregas vocais afastadas(quando respiramos) e as pregas vocais vibrando(quando estamos falando). As pregas vocais são formadas por mucosa e músculos. A parte branca é a mucosa que é contituída de um tecido muito delicado e frágil.

Respiração                                   Fonação
Então queridos leitores, eliminem o comportamento de gritar, ele não traz nenhum benefício nem impõe respeito, pelo contrário, causa mais raiva ao ouvinte e traz prejuízos as pregas vocais.
Mas claro, se você estiver passando por uma situação de emergência e precisar pedir socorro, não exite em gritar...nesses momentos o grito está liberado!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não deixe de comentar!